O comportamento do recém-nascido internado na uti neonatal quando exposto aos sons intrauterinos

Authors

  • Paula G. Cachambú
  • Irany Achiles Denti
  • Luana Ferrão
  • Cibele Sandri Manfredini

DOI:

https://doi.org/10.46814/lajdv3n3-016

Keywords:

Neonato, Medição da Dor, Neonatologia

Abstract

O útero materno permite ao feto repouso e sono profundo, sendo que imerso nesta estrutura, o feto já registra algumas experiências, as quais permitem que tenham lembranças deste período após o nascimento. O objetivo do estudo foi descrever o comportamento do recém-nascido, internado Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), quando exposto ao som uterino. Trata-se de um estudo quase-experimental, com 7 Recém-Nascidos (RNs) de 29 a 38 semanas, internados nesta unidade, no período de setembro a outubro de 2019. Os participantes foram expostos ao som uterino por 15 minutos ininterruptos dentro da incubadora, com Leq abaixo de 60,0 dBA. Como elementos do estudo foram avaliadas a Frequência Respiratória, Frequência Cardíaca, Saturação de Oxigênio. Também foi utilizado a escala da dor no recém-nascido e no lactente - Neonatal Infant Pain Scale (NIPS), além da avaliação dos estados de sono e vigília adaptada de Brazelton, antes e após a exposição do som uterino. Resultados: Identificou-se que após a exposição ao som uterino os RNs apresentaram redução da Frequência Respiratória (FR) e Frequência Cardíaca (FC). A escala da dor apresentou significância estatística p<0,05 e a avaliação dos estados de sono e vigília apresentou significância estatística de p<0,01 a p<0,05 após a exposição do som uterino.  Conclusão: a exposição do som uterino mostrou eficácia para mitigar o controle da dor e melhorou os períodos da vigília e do sono dos RNs.

Published

2021-05-31

How to Cite

CACHAMBÚ, P. G. .; DENTI, I. A. .; FERRÃO, L. .; MANFREDINI, C. S. . O comportamento do recém-nascido internado na uti neonatal quando exposto aos sons intrauterinos. Latin American Journal of Development, v. 3, n. 3, p. 1211-1226, 31 May 2021.