Influência da frutosemia crônica sobre parâmetros de crescimento e desenvolvimento, maternos, fetais, bioquímicos e estresse oxidativo de ratas wistar

Authors

  • Luana Zin
  • Ana Tonello
  • Silvane Souza
  • Luiz Carlos Cichota
  • Alexandre Umpierrez Amaral
  • Irany Achiles Denti

DOI:

https://doi.org/10.46814/lajdv3n2-026

Keywords:

Frutose, estresse oxidativo, metabolismo

Abstract

Neste estudo objetivamos descrever os efeitos da administração crônica de frutose sobre parâmetros gestacionais, crescimento e desenvolvimento, bioquímicos e estresse oxidativo  de ratas Wistar. Trata-se de um experimento onde foram utilizadas duas gerações de ratas (Rattus norvegicus) da linhagem Wistar prenhas, provenientes do Biotério da URI distribuídas nos grupos controle (6 animais) e tratado (24 animais). Após a constatação da prenhes os animais foram separados em grupos, tratados com ração contendo frutose nas concentrações (65,40,30 e 20%) da ração diária contendo frutose e as do grupo controle recebeu ração normal. Os resultados mostraram alterações no peso ao desmame da primeira geração, no número e no peso dos fetos da segunda geração, comparados aos controles. Testes bioquímicos mostraram alterações estatisticamente significativas na ureia, creatinina, colesterol total, triglicerídeos e glicemia. A enzima Aspartato Amino Transferase (AST) e Alanina Amino Trasnferase (ALT) mostraram alterações para os grupos 65 e 20%. No tecido hepático a concentrações do ácido tiobarbitúrico (TABRS) mostrou alterações para os grupos 40 e 20%; sulfidrilas paro o grupo 20%; atividade da Glutationa Oxidada (GSH) para os grupos 40 e 30% e Catalase (CAT) para o grupo 30%. Os mesmos marcadores mostraram alterações para TBARS e sulfidrilas para o grupo 20%; GSH para o gruo 30%; Superóxido Dismutase (SOD) para o grupo 65% e CAT nos grupos 30 e 20%, no tecido renal, comparados ao grupo controle. Os dados são consistentes e evidenciam o envolvimento da frutose na redução da fecundidade, na gênese de distúrbios do metabolismo lipídico, glicêmico, da função hepática, renal e indução do estresse oxidativo. O estudo aponta para a vulnerabilidade do período gestacional relativo a ingestão de dietas ricas em frutose e a redução do consumo seria promissora para a prevenção do baixo peso ao nascer, dos distúrbios devidas ao metabolismo hepático, renal, lipídico, glicêmico e de estresse oxidativo.

Published

2021-05-03

How to Cite

ZIN, L. .; TONELLO, A. .; SILVANE SOUZA; CICHOTA, L. C. .; AMARAL, A. U. .; DENTI, I. A. . Influência da frutosemia crônica sobre parâmetros de crescimento e desenvolvimento, maternos, fetais, bioquímicos e estresse oxidativo de ratas wistar. Latin American Journal of Development, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 819–838, 2021. DOI: 10.46814/lajdv3n2-026. Disponível em: https://latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/jdev/article/view/270. Acesso em: 11 aug. 2022.
<br data-mce-bogus="1"> <br data-mce-bogus="1">