Vulnerabilidade social e a cárie dentária na primeira infância

Social vulnerability and dental care in first childhood

Authors

  • Amanda Albuquerque Diniz
  • Isabelle Monteiro Da Silva Lima
  • Karyne Barreto Gonçalves Marques
  • Luiz Carlos Costa Madeira Alves
  • Ingrid Cordeiro Monte
  • Paulo Leonardo Ponte Marques
  • Lucianna Leite Pequeno

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv2n6-006

Keywords:

Cárie Dentária, Criança, Saúde Bucal, Vulnerabilidade Social

Abstract

Objetivo: Estimar a prevalência da cárie em crianças na primeira infância sob vulnerabilidade social. Métodos: Pesquisa do tipo transversal realizada no Instituto da Primeira Infância - Iprede, com crianças sob vulnerabilidade social em Fortaleza, Ceará. A coleta de dados foi realizada, em dezembro de 2018 a abril de 2019, com 363 crianças aleatoriamente, por meio de exame bucal e questionário. Os dados foram analisados através de estatística descritiva e do teste qui-quadrado para variáveis categóricas. Resultados: Observou-se uma prevalência de cárie de 35,6%, e que de 1 a 4 lesões representavam a maior porcentagem (23,7%). Elevado percentual de crianças nunca foi ao dentista (81,3%); semelhante percentual nunca sentiu dor de dente (82,3%). Conclusão: Apesar da vulnerabilidade social, a prevalência de cárie foi baixa, e sugere-se realização de ações para minimizar os efeitos da doença na qualidade de vida e desenvolvimento infantil.

 

Objective: To estimate the prevalence of caries in children in early childhood under social vulnerability. Methods: Cross-sectional research conducted at the Instituto da Primeira Infância - Iprede, with children under social vulnerability in Fortaleza, Ceará. Data collection was carried out, from December 2018 to April 2019, with 363 children randomly, through oral examination and questionnaire. The data were analyzed using descriptive statistics and the chi-square test for categorical variables. Results: There was a prevalence of caries of 35,6%, with 1 to 4 caries representing the highest percentage (23,7%). A high percentage of children never went to the dentist (81,3%); a similar percentage never experienced toothache (82,3%). Conclusion: Despite the social vulnerability, the prevalence of caries was low, and actions to minimize the effects of the disease on quality of life and child development are suggested.

Published

2021-10-06

How to Cite

DINIZ, A. A. .; LIMA, I. M. D. S. .; MARQUES, K. B. G. .; ALVES, L. C. C. M. .; MONTE, I. C. .; MARQUES, P. L. P. .; PEQUENO, L. L. . Vulnerabilidade social e a cárie dentária na primeira infância: Social vulnerability and dental care in first childhood. Archives of Health, [S. l.], v. 2, n. 6, p. 1550–1562, 2021. DOI: 10.46919/archv2n6-006. Disponível em: https://latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/785. Acesso em: 28 jan. 2022.