Miocardiopatia em decorrência da infecção por SARS-CoV2

Authors

  • Felipe Mateus Moura Martins Bernardino
  • Elisângela Mendes de Souza
  • Isabela de Lima Martins
  • Thaís Soares Marques de Lira
  • Alysson Kennedy Pereira de Souza

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv2n3-024

Keywords:

Covid-19, SARS-CoV-2, Miocardiopatia

Abstract

Introdução: Complicações cardiovasculares associadas à infecção por coronavírus foram descritas a partir de infecções por SARS-CoV e, recentemente, SARS-CoV-2, que gera o padrão clínico da doença denominada COVID-19. O SARS-CoV-2 causa lesões miocárdicas agudas, miocardite e insuficiência cardíaca. A susceptibilidade endotelial e miocárdica em pessoas com Covid-19 foi relacionada a processos inflamatórios e trombolíticos com implicações sistêmicas, que demandam intervenções complexas e operação multiprofissional. Objetivo: Demonstrar, por meio de uma revisão de pesquisas recentes, os mecanismos pelos quais o vírus SARS-CoV-2 produz dano miocárdico com alta mortalidade em pacientes acometidos por COVID-19. Métodos: Trata-se de uma revisão bibliográfica, realizada entre os anos de 2019 e 2021. As bases eletrônicas de dados utilizadas foram: Scielo, Lilacs e Pubmed. Foram utilizados os descritores: miocardiopatia, Covid-19, Sars-cov-2 segundo a biblioteca virtual em Saúde (BVS). Resultados: Observou-se que a injúria do miocárdio, definida pela elevação dos níveis de troponina acima do valor de referência, é uma complicação frequente (19,7%) nos pacientes internados por COVID-19 e está associada ao aumento de mortalidade e síndrome do desconforto respiratório agudo. Houve uma forte correlação entre níveis altos de troponina e aumento de proteína C reativa e de NT-proBNP. Pacientes com níveis aumentados de troponina tiveram maior incidência de arritmias ventriculares e maior necessidade de ventilação mecânica. Conclusão: Pacientes com comorbidades como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares têm maior suscetibilidade à forma grave da Covid-19 e complicações cardiovasculares como a miocardiopatia. Portanto, torna-se necessário o acompanhamento cardiovascular destes pacientes, posto que, à luz dos conhecimentos atuais, não sabemos se eles poderão ou não evoluir com disfunção miocárdica tardia.

Published

2021-06-21

How to Cite

BERNARDINO, F. M. M. M. .; DE SOUZA, E. M. .; MARTINS, I. DE L. .; DE LIRA, T. S. M. .; DE SOUZA, A. K. P. . Miocardiopatia em decorrência da infecção por SARS-CoV2 . Archives of Health, v. 2, n. 3, p. 490-497, 21 Jun. 2021.