Neurofisiologia filosófica da felicidade: O segredo da felicidade está na homeostase; pessoas de alto QI têm mais chances de encontrar um melhor equilíbrio

Authors

  • Fabiano de Abreu Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.46919/archv2n2-002

Keywords:

neurociência, felicidade, Neurofisiologia filosófica

Abstract

Levando em consideração que a felicidade são picos determinados com variáveis de potência, a expressão popular de ser feliz está mais relacionado ao equilíbrio mental e físico, a homeostase que é primordial e necessária biologicamente também está relacionado a comportamentos que tragam conforto e bem-estar.

A felicidade ou, variáveis que levam à sensações similares, que a confundem ou a definem, estão relacionados à neurotransmissores e regiões cerebrais relacionados à razão é a emoção. Neste artigo, de forma resumida, através da neurociência será definido esses mensageiros bioquímicos que definem a sensação da felicidade ou similares, assim como as regiões cerebrais relacionadas. A homeostase seja biológica ou não, é a razão que define as maiores chances para picos de felicidade ou sentimentos de equilíbrio que levam ao bem-estar.

Published

2021-05-04

How to Cite

RODRIGUES, F. de A. . Neurofisiologia filosófica da felicidade: O segredo da felicidade está na homeostase; pessoas de alto QI têm mais chances de encontrar um melhor equilíbrio. Archives of Health, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 154–165, 2021. DOI: 10.46919/archv2n2-002. Disponível em: https://latinamericanpublicacoes.com.br/ojs/index.php/ah/article/view/253. Acesso em: 18 may. 2022.